segunda-feira, Abril 17, 2006

Sindrome de Kawasaki

Síndrome de Kawasaki

A síndrome de Kawasaki é uma doença que afeta crianças com menos de 5 anos de idade, causando erupção cutânea, febre, aumento de tamanho dos linfonodos e, algumas vezes, inflamação cardíaca e articular.
A causa da síndrome de Kawasaki é desconhecida, mas algumas evidências sugerem um vírus ou um outro agente infeccioso.
A síndrome de Kawasaki foi descrita pela primeira vez no Japão, no final da década de 1960.
Desde então, milhares de casos foram diagnosticados em todo mundo, atingindo grupos raciais e étnicos diversos, embora ela continue sendo mais comum no Japão.
Nos Estados Unidos, estima-se que ocorram anualmente vários milhares de casos.
A maioria das crianças com síndrome de Kawasaki têm idades que variam de 2 meses a 5 anos, embora ela já tenha sido descrita em adolescentes. A incidência da síndrome de Kawasaki é aproximadamente 2 vezes maior entre os meninos que entre as meninas.
Raramente, o distúrbio pode afetar vários membros de uma mesma casa.


Sintomas

A doença começa com febre, a qual sobe e desce, mas, geralmente, ela mantém-se acima dos 39 oC.
A criança torna-se irritadiça, freqüentemente apresenta sonolência e, ocasionalmente, sente dor abdominal (cólica).
Em um dia, surge geralmente uma erupção maculosa e vermelha sobre o tronco e em torno da área da fralda.
Ao longo de vários dias, a erupção cutânea estende-se para as membranas mucosas, (p.ex., revestimento da boca ou da vagina).
A criança apresenta garganta hiperemiada (vermelha); lábios com fissuras, secos e hiperemiados; e uma língua vermelha como morango.
Ambos os olhos podem tornar-se hiperemiados, mas sem secreção.
As palmas das mãos e as plantas dos pés tornam-se vermelhos ou violáceos e as mãos e os pés freqüentemente tornam-se edemaciados.
Aproximadamente 10 a 20 dias após o início da doença, começa a ocorrer descamação da pele dos dedos das mãos e dos pés.
Os linfonodos geralmente apresentam- se aumentados de volumes e levemente dolorosos à palpação.
A complicação mais grave da síndrome de Kawasaki é a doença cardíaca.
Os outros sintomas da síndrome não acarretam problemas crônicos da pele, dos olhos ou dos linfonodos.
Aproximadamente 5 a 20% das crianças com síndrome de Kawasaki apresentam complicações cardíacas.
Geralmente, essas complicações manifestam-se 2 a 4 semanas após o início da doença.
O problema cardíaco mais grave é a dilatação anormal das artérias coronárias. Embora uma dilatação discreta dessas artérias possa desaparecer, o aneurisma (dilatação acentuada) pode causar infarto do miocárdio e morte súbita. Outras complicações da síndrome de Kawasaki (p.ex., inflamação das meninges, das articulações ou da vesícula biliar) acabam curando sem deixar seqüelas.


Diagnóstico

O médico baseia seu diagnóstico nos sintomas e não nos resultados de exames laboratoriais específicos.
O diagnóstico é estabelecido pela presença de uma febre que perdura pelo menos 5 dias e pela ocorrência de quatro das seguintes alterações no corpo: erupção cutânea, extremidades edemaciadas e vermelhas; olhos hiperemiados; alterações nos lábios e boca; e linfonodos aumentados de tamanho.
A princípio os exames de sangue revelam contagens elevadas de leucócitos e contagens baixas de eritrócitos (anemia).
A seguir, eles revelam contagens elevadas de plaquetas.
Outros exames laboratorias podem apresentar resultados anormais de acordo com os órgãos e sistemas afetados.


Complicações da Síndrome de Kawasaki

Complicações envolvendo o coração
• Inflamação das artérias que transportam sangue para o coração (artérias coronárias)
• Aneurisma coronariano (dilatação de uma porção de uma artéria coronária)
• Pericardite (inflamação do saco que envolve o coração)
• Miocardite aguda (inflamação do músculo cardíaco [miocárdio])
• Insuficiência cardíaca
• Infarto do miocárdio (morte do músculo cardíaco)Outras complicações
• Erupções incomuns
• Uveíte anterior (inflamação do interior do olho)
• Dor ou inflamação articular (sobretudo das articulações pequenas)
• Meningite asséptica (inflamação não infecciosa das membranas que revestem océrebro)
• Colecistite (inflamação da vesícula biliar)
• Diarréia


Prognóstico

Geralmente, as crianças recuperam-se totalmente quando as artérias coronárias não tiverem sido afetadas.
Aproximadamente 1 a 2% das crianças com síndrome de Kawasaki morrem, geralmente em decorrência de complicações cardíacas.
Dentre estas, mais de 50% morrem no primeiro mês, 75% em 2 meses e 95% em 6 meses.
No entanto, a morte pode ocorrer mesmo após 10 anos e, algumas vezes, subitamente e de forma inesperada.
Os aneurismas coronarianos menores tendem a desaparecer em um ano, mas as artérias coronárias podem permanecer fracas, causando problemas cardíacos anos mais tarde.


Tratamento

O tratamento precoce reduz significativamente o risco de lesão coronariana e acelera o desaparecimento da febre, da erupção cutânea e do mal-estar.
Durante 1 a 4 dias, são administradas doses elevadas de imunoglobulina pela via intravenosa, assim como doses elevadas de aspirina pela via oral.
Após o desaparecimento da febre, o médico geralmente prescreve uma dose mais baixa de aspirina por vários meses, para reduzir o risco de lesão coronariana e a de formação de coágulos sangüíneos.
O médico solicitará ecocardiogramas freqüentes para verificar possíveis complicações cardíacas.
Os aneurismas coronarianos grandes podem ser tratados com medicamentos anticoagulantes (p.ex., warfarina), além da aspirina.
Os aneurismas pequenos podem ser tratados somente com a aspirina.
Em alguns casos, quando a criança contrai uma gripe ou a varicela, ao invés da aspirina, o médico pode preferir o dipiridamol temporariamente para diminuir o risco de ocorrência da síndrome de Reye.


(Manual Merck)


12 comentários:

Soraia disse...

Minha filha de 2 anos teve a Síndrome de Kawasaki em dezembro de 2008, na verdade ainda está com mãos e pezinhos descamando... é uma doença de aspecto terrível, que maltrata muito a criança e que deixa fantasmas rondando a todos após seu diagnóstico devido à propensão de aneurismas e ataques cardíacos. Rezo muito para engordar as estatísticas daqueles que sairam ilesos após a síndrome, uma vez que diagnosticamos e a medicamos logo nos primeiros dias... gostaria de trocar informações com mais pessoas que tenham tido a mesma experiência.(e-mail: soducci@hotmail.com)

maria helena Andrade disse...

Meu filho teve a Sindrome de Kawasaki com 1 ano e 2 meses. Graças a Deus e a pediatra que descobriu a doença no quinto dia de febre e introduziu a Gamaglobulina no 6o dia da doença ele ficou bom e sem nenhuma sequela. Isso já faz 3 anos e hoje é uma criança normal, fazendo acompanhamento anual da cardiologista.Experiencia própia, realmente é uma doença violenta e angustiante para os pais, e sofredora para as crianças. Mas a melhora também é rápida e no meu caso meu filhote saiu ileso.

lurdes disse...

chamo me Lurdes e tenho uma filha de 3 anos e que sofre de sindro de kawasaki e la parecia um mostro tuda inchada e ate parecia que era o fim dela mas graça a Deus...... não tenho palavras para esprinir é só Deus e Eu...
Eu só peso as mamas para ter coragem e fé com eu.
Eu as fezes perco forças mas tenho levantar para cima e pensar positiva.
para as pessoas que tenhan tido a mesma experiência.(e mail é lurdespais_22@hotmail.com )

lurdes disse...

chamo me Lurdes e tenho uma filha de 3 anos e que sofre de sindro de kawasaki e la parecia um mostro tuda inchada e ate parecia que era o fim dela mas graça a Deus...... não tenho palavras para esprinir é só Deus e Eu...
Eu só peso as mamas para ter coragem e fé com eu.
Eu as fezes perco forças mas tenho levantar para cima e pensar positiva.
para as pessoas que tenhan tido a mesma experiência.(e mail é lurdespais_22@hotmail.com )

lurdes disse...

chamo me Lurdes tenho 22 anos e tenho uma filha que sofre de sindro de kawasaki aos 2anos e agora tem 3anos ela parecia um mostro tuda inchada e quando os pedriatico quando tiravam a colheita de sangue ela ficava tuda inchada... não tenho palavras para ditar...

Rosangela disse...

Meu filho aos 2 meses teve uma infecção no ouvido,3 otorrinos deram o mesmo diagnoetico q ele tinha apinéia do sono,ele tinha febre frequentes,c 1 ano e 7 meses fez cirurgia, mesmo assim ele continuou tendo febres e teve convulção 2 vezes,c pouco menos de 3 anos ele teve uma crise de febre e muita dor no corpo, ele sentia tanta dor eu n podia tocar nele,os médicos disseram q ele tinha artrite séptica devido a isso teve abscesso na virilha, tendo q colocar dreno, ele continuou tendo febres era agitado, c 4 anos ele teve uma crise ai q os sintomas vieram fortes os medicos diagnosticaram q ele tem kawasaki mas quando descobriran ele ja tinha 17 dias de febre continua ele gritava a noite de tanta dor, me senti a mãe mais impotente do mundo, é uma doença terrivel, ele fico traumatizado,se ele ficar sem tratamento a doença volta, hoje ele tem 16 anos terá q fazer tratamento continuo, sou uma mãe q está sempre tensa, meu filho cresceu sabendo do problema, e isso causo um trauma piscológico nele e em mim,ele tem acompanhamento c neuro, cadiologista,urolologista,piscologo e um "nefro" q desse eu n abro mão de geito nenhum, ele tem sido um anjo da guarda do meu filho.rosi66_@hotmail.com

Cleia disse...

meu filho teve esta doença em um periodo raro porque ele já tinha nove anos,não é comum.
ele ficou enternado um mês e quinze dias no hospital das clinicas com tratamentos forticimos poia doença persistia.
hoje já faz tres anos que ele está curado pois faço exames anuais e não consta nem um problema.

Anónimo disse...

rafael

Anónimo disse...

meu filho de 9 anos esteve em cuidados clinicos ,pois sofreu da sindrome de kawasaki , um susto pra nós pais e familiares ! mais graças a Deus, que nós exames não deu alteração alguma !!agora recupera em casa com ass e analgesico sendo administrados ,mais na semana que vem irá passar em consulta pra ver como está e poder voltar para o colegio !!! !meu email danielacturatti@hotmail.com

Oregon disse...

Boa noite. So a semana passada tive conhecimento desta doenca qd foi diagnoaticada ao meu filho. E ele tem 20 meses e iniciaram o tratamento ao 5dia de febre... Mas apos 3 dias a febre nao desapararceu e iniciaram o segundo tratamento. Estou aind muito ansiosa para saber como isto vao correr. Mas e bom saber q os casos aqui tds recuperaram. Sempre me da mais confianca.

No vossos casos eles tb ficaram muito inchados? Barriga principalmente?.

Obrigada qq ajuda e boa vinda.

Oregon disse...

Boa noite. So a semana passada tive conhecimento desta doenca qd foi diagnoaticada ao meu filho. E ele tem 20 meses e iniciaram o tratamento ao 5dia de febre... Mas apos 3 dias a febre nao desapararceu e iniciaram o segundo tratamento. Estou aind muito ansiosa para saber como isto vao correr. Mas e bom saber q os casos aqui tds recuperaram. Sempre me da mais confianca.

No vossos casos eles tb ficaram muito inchados? Barriga principalmente?.

Obrigada qq ajuda e boa vinda.

Oregon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.